14 de julho de 2017

CANÇÃO NA PLENITUDE


                    - Lya Luft

                    Não tenho mais os olhos de menina
                    nem corpo adolescente, e a pele
                    translúcida há muito se manchou.
                    Há rugas onde havia sedas, sou uma estrutura
                    agrandada pelos anos e o peso dos fardos
                    bons ou ruins.
                    (Carreguei muitos com gosto e alguns com rebeldia.)

                    O que te posso dar é mais que tudo
                    o que perdi: dou-te os meus ganhos.
                    A maturidade que consegue rir
                    quando em outros tempos choraria,
                    busca te agradar
                    quando antigamente quereria
                    apenas ser amada.
                    Posso dar-te muito mais que beleza
                    e juventude agora: esses dourados anos
                    me ensinaram a amar melhor, com mais paciência
                    e não menos ardor, a entender-te
                    se precisas, a guardar-te quando vais,
                    a dar-te regaço de amante e colo de amiga,
                    e sobretudo a força – que vem do aprendizado.
                    Isso te posso dar: um mar antigo e confiável
                    cujas marés – mesmo se fogem – retornam,
                    cujas correntes ocultas não levam destroços
                    mas o sonho interminável das sereias.

_______________________________


Gaúcha de Santa Cruz / RS - a escritora Lya Luft iniciou aos 20 anos uma carreira de tradutora de literatura em alemão e inglês. Formada em Letras anglo-germânicas e com mestrados em Literatura Brasileira e Linguística Aplicada, Lya Luft trabalha desde os 20 anos como tradutora de alemão e inglês. Já verteu para o português obras de autores consagrados como Virgínia Woolf, Günter Grass, Thomas Mann e Doris Lessing, além de ter recebido o prêmio União Latina de melhor tradução técnica e científica em 2001 pela tradução de Lete: Arte e Crítica do Esquecimento, de Harald Weinrich. Romancista, ensaísta, cronista e poeta, deixo aqui alguns de seus livros. Lya nasceu em Santa Cruz do Sul, em setembro de 1938 - RS.
As Parceiras / 1981 – A Asa Esquerda do Anjo / 1981 - O Ponto Cego / 1999 - Reunião de família / 1982 - O Quarto Fechado / 1984 - Mulher no Palco / 1984 - O Rio do Meio 1996 – Mar de Dentro / 2002 - Perdas e Ganhos / 2003 – Histórias do Tempo / 2000 - Pensar é Transgredir / 2004 - Histórias da Bruxa Boa / 2004. Atualmente escreve uma coluna na Revista Veja.




35 comentários:

  1. Nossa Lya é maravilhosa e a poesia escolhida fala muito! bjs praianos,chica

    ResponderExcluir
  2. ESSA LYA É MARAVILHOSA,QUERIDA AMIGA TAÍS.

    QUE BELO POETAR SOBRE A MATURIDADE DESSE JEITO E COM TANTAS VERDADES!

    SEU BLOG ESTÁ NA MINHA LISTA DE BLOGS A VISITAR.RECEBI SUA ATUALIZAÇÃO E VIM RAPIDINHO VER.

    OBRIGADA PELAS VISITAS E UMA NOITE DE PAZ PROFUNDA

    BEIJOS SABOR CARINHO

    DONETZKA

    Blog Magia de Donetzka

    ResponderExcluir
  3. Não tenho mais olhos duma criança
    Sem elasticidade a pele enrugou
    Os anos só conservam as lembranças
    Daquele menino que não mais sou.

    Contudo, ganhei em maturidade
    Que me ensinou tudo que agora sei
    Um aprendizado que nesta idade
    Para todo homem se torna lei.

    Se existir alguma beleza agora
    Não será aquela da juventude
    Os anos dourados foram embora.

    A velhice, porém, não nos ilude
    Por irrefragável, tem sua hora
    Então, não haverá força que a mude.

    ResponderExcluir
  4. Linda poesia que você nos compartilha da escritora Lya Luft.
    Bjs Taís e um ótimo domingo.
    Carmen Lúcia.

    ResponderExcluir
  5. Um poema lindo e tocante, desta belíssima autora, que tenho vindo a adorar descobrir por aqui, através de algumas das suas excelentes escolhas, Tais!
    Beijinhos! Bom fim de semana!
    Ana

    ResponderExcluir
  6. Que poesia mais linda!
    Parabéns pelo blog e pelo lindo conteúdo!
    Bjs, Larissa de : minhaliteraturinha.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  7. Hola, Tais. Cada una de las estrofas de esta poeta para mí desconocida tiene algo que la hace universal e intemporal. Si la vida nos da oportunidad y una buena compañía para demostrarlo, ¿quién no ha comprobado que el tiempo nos hace mejores amantes y compañeros? Que comprendemos más y sabemos disfrutar más de los buenos momentos irrepetibles, aquellos a los que años atrás no dábamos importancia.
    Gracias por descubrirnos esta obra de plenitud. Un beso.

    ResponderExcluir
  8. A poesia é linda a autora maravilhosa em tudo que escreve, é bem verdade vai a beleza externa e fica a maturidade, os risos e as tristezas experiencias de vida, mas que sempre preferimos a juventude, entretanto o tempo não para e não perdoa.
    Amei a sua escolha, bom domingo nesta nossa terra de Malboro.
    beijinhos, Léah

    ResponderExcluir
  9. Gosto imenso deste poema Tais. Em tempos pesquisei esta poetisa que faz parte da galeria do A mulher e a poesia, exatamente com este poema. http://amulhereapoesia.blogspot.pt/search?q=Lya+Luft

    Um abraço e bom Domingo

    ResponderExcluir
  10. Oi Tais,
    Linda poesia
    É, há sempre algo bom em cada idade.
    Beijos
    Lua Singular

    ResponderExcluir
  11. Olá Taís, trouxe uma bela e profunda poesia da Lya com toda sua profunda analise do tempo e o ser e o que pode ser numa vida mais leve e preciosa.
    Bonita partilha e indicações da Lya.
    Uma semana de paz e nova esperanças.
    Meu terno abraço.
    Bjs de paz amiga.

    ResponderExcluir
  12. Tais
    O poema já diz tudo sobre a sensibilidade literária de Lya Luft, mas gostei de saber um pouco do seu currículo.
    CONVITE A COMENTÁRIO
    Brasil – País do futuro:
    Excelsa – celsa

    mornaguerra.blogspot.pt

    Bjs

    ResponderExcluir
  13. Bom dia querida Tais.
    Amei a sua excelente escolha do poesia da Lya. Uma feliz semana minha amiga. Grande abraço.

    ResponderExcluir
  14. Uma poesia muito realista de Lya Luft.

    Eu, com os meus 70 anos, posso confirmar

    que as palavras de Lya estão muito certas.

    Bjs. amiga e votos de que se encontre bem.

    Irene Alves

    ResponderExcluir
  15. Pois é, cara amiga Tai; a Lya é uma artista de mão cheia, extremamente criativa e eclética. Um abração e bom frio.

    ResponderExcluir
  16. Sou fã de carteirinha desta escritora. Linda esta poesia, que também já compartilhei. Grata por sua partilha e sempre bom reler. bjs

    ResponderExcluir
  17. Um texto bem escolhido, gosto muito da Lya Luft.
    Obrigada pela visita no Fragmentos Poéticos.
    Abraço

    ResponderExcluir
  18. Taisinha, essa escritora Gaúcha sempre foi fiel à sua escrita, sem abrir mão da boa qualidade, cuidando do que escrevia com arte, sagrada arte para ela, como ocorreu com as muitas traduções de grandes obras escritas na língua alemã, o mesmo se dando com seus ótimos romances, seus livros de crônica e poesia, esta muito bem representada por este poema que canta a experiência, a vivência de uma mulher já bem distante da moça que foi (um belíssimo poema). Parabéns pela escolha.
    Um beijinho daqui do escritório.

    ResponderExcluir
  19. Magnífico regalo: "um mar antigo e confiável".
    ¡Todos querríamos recibir un regalo así!
    Beijos e abraços, Taís.

    ResponderExcluir
  20. Linda escolha do poema, eu não conhecia nada sobre ela, que bom que aqui lendo e aprendo, sem nenhum problema de mostrar essa minha ignorância, pois olhe, despertou-me curiosidade.
    Plenitude, eis algo que só conseguimos com o passar do tempo, amo ver o tempo passar e perceber que, nada muda muito, pois a alma que sente, sentir pra mim é tudo!
    Amei ler aqui, abraços apertados querida amiga Tais!

    ResponderExcluir
  21. Como eu te lia,
    Lya.
    E leio.
    E lerei
    este açude
    cheio de plenitude!

    Uma boa semana, Taís!

    ResponderExcluir
  22. Simplesmente Encantador!
    E mais que isso,uma linha de pensamento incrível!
    Parabéns!
    Feliz Escolha.

    ResponderExcluir
  23. Bom dia, o belo poema da autora Lya Luft que desconhecia, é objectivo, "A maturidade que consegue rir quando em outros tempos choraria" diz-nos que a vida é uma aprendizagem continua.
    Continuação de boa semana,
    AG

    ResponderExcluir
  24. Excelente poema de Lya Luft, que muito admiro e que faz parte da minha estante de poesia. Gostaria de ter feito este poema, pois Lya Luft diz nele tudo quanto eu sinto... Obrigada Tais por partilhar.
    Uma boa semana.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  25. Embora a minha professora seja uma carioca de gema e sempre falava sobre Brasil meu conhecimento do Brasil ainda tem muitas manchas brancas.Visitando diariamente os blogues brasileiros descobria a beleza do país e seu povo e principalmente a riqueza do idioma.
    Abraço

    ResponderExcluir
  26. A maturidade só faz valorizar oque de fato guarda valor em nós. Te convidando para sintonizar a nossa www.hellowebradio.com ... você. Vem!
    Cadinho RoCo

    ResponderExcluir
  27. Minha querida amiga Tais., sabes que sou um adorador de Lya Luft, e este poema ainda não conhecia, e agora que conheço consigo me orientar melhor através dele. Tou no meio século de idade, e muitas coisas começam a fazer sentido, não que não fizessem antes, mas agora este amadurecimento que Lya nos diz no poema, me trazendo mais segurança e ao mesmo tempo me fazendo recuar, como se estivesse sentado num sofá e este vai tentando me engolir...(divagou o dramático rs). Minha amiga, hoje no dia do amigo, não poderia apenas ler, o que tenho feito aqui no teu blog, mas dizer, agradecer e louvar a amizade que tenho tua e do dr. Pedro, que sempre me deixavam palavras de carinho e força aqui na blogosfera...O poema de Lya é extraordinário. Sempre bom estar aqui, no dia do amigo.
    ps. Carinho respeito e abraço.

    ResponderExcluir
  28. Boa noite Taís, não conhecia Lya Luft, autora do magistral poema, a maturidade. Um poema belíssimo que retrata com clareza
    as mudanças da aparência, o que importa e amadurecer com saúde e lucidez e poder repassar as experiências vividas. A autora falou muito bem sobre isso!

    FELIZ DIA DO AMIGO !!
    Bjs!

    ResponderExcluir
  29. Oi querida,
    Um belo poema! Obrigada por partilhar
    Beijos no coração
    Lua Singular

    ResponderExcluir
  30. Lindo poema este, querida Taís.
    Um verdadeira ode à inexorável passagem do tempo. Tempo esse, que traz as marcas que nos vincam o rosto, levam a frescura da pele, mas como contra partida, nos traz o bem valioso da maturidade. A aprendizagem da vida que faz com que saibamos amar, doando-nos plenamente.

    Muito grata por esta partilha, e por me dar a conhecer uma escritora, até hoje, para mim desconhecida.

    Um beijinho carinhoso, querida Amiga.

    ResponderExcluir
  31. Votos de feliz fim de semana,
    AG

    ResponderExcluir
  32. Muito bem! Adorei o seu blogue e a sua escrita
    Parabéns
    Bom fim de semana
    Beijo

    ResponderExcluir
  33. Uma voz individual mas que exprime um sentir coletivo, incluindo o meu.
    Adoro a escritora! Excelente partilha!
    Bj

    ResponderExcluir
  34. Lya Luft é uma das minhas poetas de eleição, este poema foi uma boa escolha e gostei de saber mais da escritora e não só.
    beijos
    :)

    ResponderExcluir
  35. Plenitude! E assim observamos e sentimos a passagem do tempo, que por vezes, parece ser uma das vestes do criador.

    ResponderExcluir

SUA ATENÇÃO...

1 - Agradeço os comentários dos queridos leitores e amigos, sempre Bem-vindos!

2- Comentários ANÔNIMOS não são postados. Assine.

Um abraço a todos!
Taís Luso