2 de fevereiro de 2017

O QUE É ARTE PARA VOCÊ?

Os Retirantes / 1944 -   Portinari

   - Tais Luso
 Quando me deparo com uma obra de arte, vejo seu lado estético, sua linguagem e a mensagem que está inserida nessa obra. Vejo suas cores e seus traços.
Admiro obras que retratam a nossa história, o nosso cotidiano, as injustiças sociais, a brutalidade e a miséria. Cumprem, aí, a sua mais nobre missão: a de retratar os fatos, de protestar e de clamar por mudanças. Através da arte o artista manifesta suas próprias emoções, que não deixam de ter seu lado belo.
Também vejo a Arte que alegra o espírito e prima pela beleza: são as paisagens, cenas de bar, marinhas, festas, flores, retratos, cenas familiares. Ou outras imagens que levam paz, como a arte Sacra, por exemplo. Tudo entre belas e coloridas nuances.
Através da arte a humanidade relatou sua história. O homem deixou suas pinturas nas cavernas, importantes para o estudo da nossa espécie.
Gostar de uma obra é um sentimento pessoal, e depende da sensibilidade de cada um. Não são todos que gostam do Barroco, do Romantismo, Cubismo, Realismo, Impressionismo, Surrealismo, Pop Arte. E o artista é aquele ser especial dotado de técnica, de espírito crítico, de criatividade.
Mas o triste é o que se vê em algumas exposições ou em Bienais:
Uma porção de tijolos empilhados: é arte. Tocos de madeira cercados de arame, é arte. Uma montanha de pneus acompanhados de uma placa qualquer: é arte. Paralelepípedos colocados em sequência, é arte. Palitos de fósforos colados numa placa, é arte. E o sofrimento de animais, com fome, numa exposição, será arte? Pois é, aplaudir o sofrimento em nome da arte! Então fica difícil de entender e de captar certas mensagens. Fica difícil rotular isso de arte.
Vejo arte em vários museus, galerias, residências, oficinas e igrejas. Vejo obras dos grandes mestres, de todas as épocas, de todos os movimentos e depois dou de cara com algumas coisas inéditas e que minha sensibilidade tem de se amoldar rapidamente. Impossível.
Não tem como eu achar que uma tripa de ferro velho é um avião, e que as asas ficam para minha imaginação. A proposta para que o observador solte sua imaginação, deve, ao menos, partir de um princípio: dar um indício para poder se chegar a algum ponto. E a liberdade, de gostar ou não da obra, é um direito indiscutível de quem a vê.
Arte, para mim, é quando ela tem a capacidade de emocionar ou quando dá prazer em olhar e descobrir detalhes, técnica e transmitir alguma mensagem dentro de uma lógica. Enfim, ver uma obra inteligente.
E quem quer interagir precisa ser um pouco mais claro. É a lógica que se espera. Essa comunicação existe desde a antiguidade, existe na pintura clássica, moderna, contemporânea, enfim. Em todas os períodos e movimentos.
A arte tem de ser uma manifestação democrática. Mas não é por ser democrática que pode exceder limites. E cabe aos que veem, compartilhar ou não; gostar ou não. Temos de expressar - sem medo - nosso gosto, como fazemos em diversas artes. Por que é aceitável não gostar de uma obra literária, de jazz, de música clássica... e o mesmo não se dá com a Arte em si? Por que o não gostar de uma obra de Arte ou de um Movimento torna-se quase uma agressão e gera discussões intermináveis? Há algo de errado; há uma paixão acima da razão. E fica difícil quando alguém é dominado pelo medo e pelo constrangimento.
Portanto, é direito legítimo de cada um manifestar-se contra ou a favor; se gosta ou não gosta.




Meu outro Blog: Das Artes  💜





43 comentários:

  1. Olá! Penso que a alegria do artísta é ver sua obra apreciada e pericida por olhares criticos de outras pessoas. a arte mais difícil de se entender e aceitar é a do nosso próprio tempo. Principalmente se a obra tende a ocultar manifestações que o artista não quer tornar público embora use da arte para expressar. Tem uma arte lá no blog... Bom fim de semana!

    ResponderExcluir
  2. Belo texto e quase não tenho a acrescentar, tão bem falaste; Pra mim há ARTE e arte e por vezes a arte deveria conter um "manual" pra sabermos entender... Prefiro as outras que podemos ver e admirar o belo simplesmente.

    bjs, lindo fds! chica

    ResponderExcluir
  3. Acróstico

    A beleza está no olhar de quem a vê
    Real aforismo que a ela define
    Toda arte deverá ter um porquê
    E nos mostrar algo que a determine.

    ResponderExcluir
  4. Perfeito, cara amiga Tais. Concordo contudo que dizes neste post, pois é difícil não concordar com uma linda de raciocínio racional e sensata. Realmente há alguma confusão com arte ultimamente, com (obras?) que não dizem nada, que grosso modo, é uma perda de tempo.
    Um abração. Tenhas um bom dia.

    ResponderExcluir
  5. Taís,arte para mim é ver aquilo que me passa emoção e não são quadros pincelados aleatoriamente sem nexo que acho ser uma bela arte.
    Essa é a minha opinião.
    Adorei a cronica.
    Bjs e uma ótima semana.
    Carmen Lúcia.

    ResponderExcluir
  6. Para mim amiga escolho a minha definição:
    "Arte, para mim, é quando ela tem a capacidade de emocionar ou quando dá prazer em olhar e descobrir detalhes, técnica e ..." sobretudo desperta o meu coração!!!
    bj

    ResponderExcluir
  7. POLÉMICO, PERO ACERTADO TEMA.
    ABRAZOS

    ResponderExcluir
  8. A lei do facilistimo, na arte não pode merecer a nossa aceitação.
    Eu subscrevo totalmente o seu texto.
    Posso não compreender totalmente uma obra de arte,mas ela
    fazer sentido, mas há algumas - que para mim - não o fazem.
    Bjs, e bom fim de semana.
    Irene Alves

    ResponderExcluir
  9. "A arte tem de ser uma manifestação democrática" - que melhor síntese, Tais?
    totalmente de acordo: a arte é emancipadora, ou não será.

    dois artistas de eleição: Portinari e Kandinsky, em extremos opostos!

    sempre "pedagógicas" (sem se dar por conta) as suas crónicas,

    beijo, minha amiga

    ResponderExcluir
  10. Muy interesantes tus reflexiones sobre qué es el arte.
    A priori, no sabría cómo definir el arte. Creo que tendría que ver la pieza en cuestión para saber si lo considero arte o no.
    Unos neumáticos apilados pueden ser algo original, llamativo; pueden servir para denunciar algo, pero así, en principio, pensar que eso es "arte", no lo tengo yo muy claro.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  11. Amiga querida, Taís Luso !
    E quem teria capacidade de interpretar a obscuridade
    e penumbrosa intenção de um criativo artista ?
    Eu, discretamente, somente olho... desconfiado.
    Um carinhoso abraço.
    Sinval.

    ResponderExcluir
  12. Tais, arte não é um tema que eu conheça o bastante para falar dele, no entanto, creio que várias pessoas observando um quadro, cada uma delas vai interpretá-lo de maneira diferente, assim como acontece com a leitura de um poema ou uma simples observação das ondas do mar; sensações completamente diferentes, como diferentes são os olhos que observam. Agora vou-te contar um caso aqui da minha cidade; foi pedido, pelo presidente da câmara daqui, a um arquitecto famoso, também morando cá, que fizesse uma escultura do rei português D. Sancho I; pois essa estátua que custou " os olhos da cara " a todos os contribuintes provocou uma grande polémica e até muias gargalhadas. Quem passar naquela rotatatória ( aqui dizemos rotunda ) nunca saberá que se trata de um rei e alguns terão dificuldades em saber se retrata um ser humano; não passa de um esteio de granito ao alto e em cima deste um outro mais ou menos quadrado ( tronco ) e um outro mais pequeno ( cabeça) Tais, olho tão pouco para ela que nem sei descrevê-lo, mas é mais ou menos isso; mas não é só esta... em várias cidades aqui perto têm aberrações destas e para sabermos o que significam, só perguntando e mesmo assim ficamos de boca aberta , não conseguindo tirar dali nada que o identifique. Amiga, a arte é um alimento para a alma, mas há algumas ditas " obras de arte " cujo intento é unicamente o de nos fazerem sentir ignorantes neste tema. Mais uma crónica muito interessante e pertinente já que, por todo o lado aparecem obras que de arte não têm nada. Obrigada e um bom fim de semana. Beijinhos
    Emilia

    ResponderExcluir
  13. Taisinha, concordo inteiramente com a tua posição, defendida nesta ótima crônica, O que é arte para você?, pois também eu não entendo como arte o que nós dois vimos, há alguns anos, na bienal de artes de Porto Alegre: numa sala espaçosa havia um monte de areia, correspondente a um saco de 60 kg, no meio da sala, sobre o chão, cercado por alguns paralelepípedos. Nós dois olhamos surpresos, sem entender o sentido artístico daquilo. Para tornar ainda mais ridícula a exposição daquela "obra de arte", vimos alguns jovens parado frente à ela, em veneração. Portanto, Taisinha, além deste exemplo nada mais posso dizer, para não repetir o que está na tua crônica. Gostei muito. Parabéns.
    Beijinho daqui do escritório.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Claro que lembro, foi uma Bienal do Mercosul, com obras assinadas por 200 artistas e com a participação de 20 países. Eram Instalações – composições artísticas contemporâneas de grandes dimensões cujo objetos são distribuídos por todo um espaço. E aquela foi difícil de entender... Ou melhor, impossível.
      Beijinho, daqui do gabinete.

      Excluir
  14. Um texto muito bom e com o qual concordo plenamente.
    Um abraço e bom fim de semana

    ResponderExcluir
  15. "Arte, para mim, é quando ela tem a capacidade de emocionar ou quando dá prazer em olhar e descobrir detalhes, técnica e transmitir alguma mensagem dentro de uma lógica. Enfim, ver uma obra inteligente."
    Parto deste excerto para elaborar o meu comentário: na verdade, o que neste excerto exprimes (e que subscrevo) vale para qualquer expressão artística; se, quando leio um poema ou um trecho narrativo, não captar nele algo que me toque, então é porque se tratou (a meu ver) de um amontoado de palavras, tal como alguns dos casos que deste (porção de tijolos empilhados...). Claro que há escolas que, quando se é leigo na matéria, como eu, é mais difícil de entender, caso do cubismo. É que, para apreciar algumas formas artísticas, seja pintura, música, dança (etc), também é preciso educar para tal. Por isso é que defendo que as crianças e jovens deviam ter contato com todas as expressões artísticas. É preciso criar públicos para que as "salas de artes" se encham de gente... A arte humaniza!
    Gostei imenso de te ler.
    Bjo, Tais :)
    Sobre o comentário que me deixaste na minha última partilha: também ando sempre com um bloquinho, pois é raro escrever em casa; gosto de ver as rasuras :)
    E já escrevi num hospital e num tribunal :)

    ResponderExcluir
  16. Amiga estou de pé aplaudindo-a, como artista evito de fazer comentários sobre esta excrescência,pois a ultima vez que o fiz, numa exposição, onde havia a tal da "instalação" fui sutilmente chamada de despeitada por não estar expondo nenhum trabalho ali,(Graças a Deus, ainda sou lúcida), como tenho certeza do que gosto admiro e conheço como arte, deixei que pensassem o que quisessem, não vale a pena discutir com quem finge entender e gostar. Sua cronica fala exatamente, completamente e muitíssimo bem do que vejo nestas pseudo artes.
    Parabéns,
    beijinhos, Léah

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas ser aplaudida por você é uma honra, amiga! Uma excelente artista. Mas sabe, Léah, fico indignada quando vejo certas coisas e com muita pena, também, quando vejo alguém com medo de dizer que não entendeu ou que não gostou. Ficam constrangidas, e tem gente que pega 'muito pesado', sentem-se altamente técnicos e os visitantes de nada sabem. Não aceito esse tipo de pressão. Existem artistas maravilhosos, mas como tudo na vida tem dois lados, mas não sei o que há com as artes.

      Obrigadíssima, amiga, beijo!

      Excluir
  17. Excelente texto!
    Nada poderia ser melhor descritivo e opinado sobre arte!
    Subscrevo em absoluto!
    Bom fim de semana.
    bj

    ResponderExcluir
  18. Amiga Táis,
    Criam uma moda e quem a contesta é chamado de inculto. Acho que são lobbies que se divertem à custa dos pretensos conhecedores de arte :)
    Para mim a arte também tem que me emocionar, tenho que a sentir e me identificar com ela.

    Querida amiga, decidi fazer uma "limpeza" e recomeçar, com o meu nome verdadeiro ;) e com um blogue que revele o meu actual estado de espírito.
    Beijinho grato por me acompanhar neste novo desafio.



    ResponderExcluir
  19. En mi opinión, en el mundo de la cración, especialmente en las artes plásticas, se está buscando la innovación por sí misma, lo importante es que sea nuevo. Creo que éste buscar solo lo nunca visto, en este aspecto está el error y el camino equivocado por el que muchos artistas transitan en estos tiempos. La personalidad está en el modo de ver, de interpretar, en hacerlo de un modo creativo original, con perspectivas diferentes pero, como muy bien dice usted, no podemos llamar arte a cualquier majadería. El tiempo se encargará de demostrar esa equivocación.

    Saludos muy cordiales. Franziska

    ResponderExcluir
  20. Oi Tais,
    Adoro obras de artes e fico pensando o que faz e pensa um artista no momento da sua criação. Ele tem que criar para ele, para deixar um pouco dele nas pinceladas ou manuseios de suas mão encantadas de amor e criatividade.
    Beijos
    minicontista2

    ResponderExcluir
  21. Boa tarde Taís.
    Reconhecer uma boa arte não é pará muitos. Eu mesmo gosto de artes simples que sejam facilmente entendidas. Lembro-me uma vez que fui com meu marido a uma exposição e ele escolheu um quadro horrível e ja fiquei imaginando aquilo na minha sala. Ao comentar baixinho com ele, ele respondeu que era uma obra de arte. E tive que suportar àquilo na minha sala. Finalmente um dia ele resolveu colocar no seu escritório para o meu alívio rsrs. Uma feliz semana pra vocês. É a segunda vez que faço o comentário e no final desaparece rsrs. Vamos ver se dessa vez consigo comentar Beijos.

    ResponderExcluir
  22. Eu junto-me à Léah e aplaudo de pé.
    Excelente crónica, Thaís, com uma abordagem muito lúcida sobre este tema.
    Uma obra de arte tem que emocionar pela estética - harmoniosa ou insólita - ou pela mensagem...
    A minha cidade está cheia de rotundas com arte moderna...~
    Numa, puseram cadeiras em circulo. São simples, retilíneas de vidro fosco que se iluminam à noite. O artista chamou-lhe «Rotunda do poder autárquico»... Os lacobrigenses e turistas chamam-lhe rotunda das cadeiras.
    Outra com uma imensa esfera preta suspensa representa «O tempo do homem na Terra». É tratada como a rotunda da bola preta...
    Enfim, parecem anedotas...
    Sou sempre sincera na apreciação de obras de arte, digo que nem todas as obras de determinado autor me agradam...
    Dou-me bem, não há muito tempo, uma amiga paciente fez com que ficasse a gostar um pouco mais de Magritte...
    Gostei muito, querida amiga.
    Ótima semana em terras quentes, por aqui o tempo está muito desagradável.
    ~~~ Beijinhos para si e para o ocupante do gabinete ao lado ~~~

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Majo, obrigada, amiga. Mas há muito tempo que vejo esse tipo de coisa, ânimos acirrados em relação às artes. As pessoas têm certo constrangimento de passarem por desentendidas. Então tem de gostar do mau gosto. Claro que é ótimo que se estude sobre as coisas que vamos dar nossa opinião, mas quando se trata de artes, os ânimos entortam muito. O que não acontece com a música, por ex. Uns adoram música clássica, outros não, e tudo continua numa boa. É aceitável. Nas artes não há isso quando se juntam uns 'mais' e outros 'menos' entendidos...
      Darei o beijinho no ocupante do gabinete ao lado, rsss.
      Beijo, querida amiga.

      Excluir
  23. Um texto cheio de lucidez, minha amiga Tais! A arte não é só aquilo que conseguimos entender, mas para mim, é aquilo que eu consigo sentir como explicação do mundo e do ser humano. Pode ser pouco. Muitas vezes sou confrontada comigo mesma por não entender o que está na tela. E estou só a falar dos artistas plásticos... Até tenho lido muito sobre alguns artistas, mas não chega. Tem que me emocionar...
    Há por aí muita coisa chamada arte que é apenas um monte de coisas, um logro...
    Uma boa semana.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  24. Querida amiga Tais este teu post (genial), lembrou de um velho e desaparecido amigo, quando visitamos uma das primeiras Bienais em POA, gosto de arte, ele também, mas haviam coisas que nós duvidávamos. Concluindo a visita dizíamos, e ríamos: ARTE É TUDO, ARTE É NADA. Sempre maravilhoso poder ler, entender, refletir e perceber que coisas certas foram ditas, escritas. Demais esta crônica querida amiga.
    ps. Carinho respeito e abraço.

    ResponderExcluir
  25. Olá Taís,

    Sou grande apreciadora de arte, notadamente as que alegram o espírito e primam pela beleza, conforme palavras suas. Nem sempre consigo captar a mensagem do artista em algumas obras, o que não desfavorece meu juízo a respeito delas. Há artes, no entanto, tal as que você divertidamente mencionou, que fogem completamente à minha apreciação.
    Como doutora em arte, você provavelmente sabe lê-las de uma maneira especial. Fico apenas no campo da apreciação e contemplação.
    Vale citar uma frase de Fernando Pessoa: “A ciência descreve as coisas como são; a arte, como são sentidas, como se sente que são.”
    Ah... e, sim, 'há uma paixão acima da razão' em muitos outros campos, infelizmente!
    Gostei muito da crônica.

    Feliz semana!

    Beijo.

    PS: Eu jamais me esqueceria de você. Não comuniquei a ninguém que tinha aberto a barra de comentários, pois, se o fizesse, estaria decretando o meu retorno à blogosfera, o que efetivamente não ocorreu. Como eu estava recebendo alguns recados através do blog da minha mana, resolvi deixar aberta a barra de comentários para quem desejasse entrar e deixar algum recado ou comentário. Você me tem visto em alguns blogs amigos porque tenho retribuído a visita daqueles que por aqui passam. Beijo.

    ResponderExcluir
  26. Gaúcha bonita, estou inteiramente de acordo com você. Porco empalhado numa Bienal? É taxidermia, arte nunca! "Os Retirantes" que você usou como imagem, é a mais pura arte de Portinari.
    Grande abraço, querida Tais!

    ResponderExcluir
  27. En definitiva, estimada Tais, "en gustos no hay nada escrito".Lo que para muchos es admirable, para otros resulta decepcionante. Es también un juego de democracia basado en el arte.

    Abrazo santiaguino.

    ResponderExcluir
  28. Penso como você. A arte precisa me tocar para apreciá-la, se olho e não a capto não posso admirar. Ela precisa me contar sobre algo.bjs

    ResponderExcluir
  29. Uau! Que magnifico Tais
    Fiquei maravilhada.
    E dissestes tudo!
    A arte é inspiração Vermeer,
    Renoir,
    Da Vinci
    foram grandes mestres da arte,
    e inspiraram muitos.

    Beijão querida✿

    ResponderExcluir
  30. Prezada Tais, meus parabéns! Que palavras claras de uma mente esclarecida e lúcida, conhecedora do produto. Parabéns! Ouvi entrevista do maluco do Ferreira Goulart como que uma madalena arrependida, a dizer que não gosta desse tipo de arte contemporânea em que o falso artista põe uma pele de gato numa telha ou vaso sanitário emborcado com uma raiz em cima e diz ser arte. Para mim o governo populista ajudou a confundir as coisas - pobre tem que andar de avião, comprar carro e se manifestar como artista... É claro que tem direito, mas ninguém tem direito de desconstruir a arte e dizer que o belo é feio e bonito é o feio. Fez muito bem o prefeito apagar aquelas pichações idiotas... Portinari representa o retirante como feio para dar beleza à realidade. Um vaso de flores do Rodrigo de Haro é belo para dar beleza à beleza. Mas segundo Dostoiewiski, só a beleza salvará o mundo. Grande abraço. Laerte.

    ResponderExcluir
    Respostas

    1. Olá, Laerte!!! Chegaram das férias! Ontem e muitos outros dias falamos em vocês aqui em casa, saudades, saudades dos poemas, dessa troca maravilhosa que é a blogosfera! Bem -vindo, amigo!
      Abraços pra lá de gaúcho, que bom te receber aqui de volta!

      Excluir
  31. Excelente texto minha amiga e subscrevo por completo.
    Um abraço e continuação de boa semana.
    Andarilhar || Dedais de Francisco e Idalisa || Livros-Autografados

    ResponderExcluir
  32. Tais Luso
    Qualquer obra, em primeiro lugar vejo como proposta, que aceito examinar. Gostar o não, já depende da estética do meu gosto. A propósito da crónica, há que diga que tudo é arte: poderá ser sim, porém reservo-me o direito de achar obras, não conseguidas.
    Ah, sobre o livro, cá estarei para avisar na altura própria.
    Abraço de obrigado

    ResponderExcluir
  33. Querida amiga Taís.Portinari é fantástico!Li seu comentário no meu blog e estou feliz por me seguir.Cotinuo só com o celular e nem leio nada bem assim como não consigo ver meus seguidores e é difícil até comentar aqui.Beijos sabor carinho.Donetzka

    ResponderExcluir
  34. Uma expressão de sentimentos que adquiriu forma, e até cores.
    Gostei da tua forma de ver estas coisas tão belas.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  35. En primer lugar gracias por visitar mi blog y dejarme un comentario. Con agrado visito yo ahora el tuyo, que me parece muy interesante y coincidente con mis gustos, porque amo el arte en general, fundamentalmente la música y la pintura, también la literatura, etc.

    Definir el arte resulta complejo si por abstracción queremos diferenciarlo de otras manifestaciones humanas, y es sencillo si en esencia la definimos como COMUNICACIÓN CREATIVA, que requiere de un autor, el artista que transfiere su obra, y de un público receptor e interesado en la misma .
    Como bien dices, no siempre todos los artistas conectan con todo tipo de públicos. Como en la más elemental relación humana, "conectar", requiere afinidad entre las partes, emisor y receptor, por lo que no estamos obligados a que nos guste lo que gusta a otros y viceversa.
    Un tema apasionante es el del arte, tan inagotable como el de la historia de la humanidad, con la que se interrelaciona.

    Será agradable seguir visitándote. Un afectuoso saludo.

    ResponderExcluir
  36. Arte, será a interpretação de cada um, perante o mundo que o rodeia... materializado num trabalho, que procurou mostrar um pedacinho do seu mundo...
    Acredito que todos temos a capacidade de ser potenciais artistas... em qualquer área...
    Acontece que a visão de cada um... reflecte as suas vivências, e circunstâncias muito pessoais, pelo que não existe, muitas vezes, a sensibilidade ou a capacidade de um outro, se colocar na pele, do autor da mesma... e ver uma obra, com os seus olhos... e ter opinião semelhante... mas talvez resida aí outra característica da arte... a da liberdade de perante um ponto de partida... chegar a um sem numero de olhares alternativos... que permitirão descodificar e compreender o mundo através de muitas outras abordagens... e questionar tudo... nós... os outros... o mundo...
    A arte talvez seja isso mesmo... um ponto de partida... para uma infinidade de entendimentos alternativos sobre algo... que provavelmente nunca nos ocorreria...
    Talvez o fim da arte, nem sempre seja agradar... mas fazer-nos pensar... e questionar... a forma como pensávamos até aí...
    Tem um pensamento de Fernando Pessoa, que eu gosto imenso, em matéria de arte... segundo ele... "O fim da arte inferior é agradar, o fim da arte média é elevar, o fim da arte superior é libertar."
    Adorei seu texto, Tais! E não tem jeito... sempre teremos dificuldade em interpretar certos trabalhos... e achar que são arte... quando por vezes, no nosso íntimo os interpretamos como uma pura aberração...
    Beijinhos! Bom fim de semana!
    Ana

    ResponderExcluir
  37. Bela, lúcida e coerente definição da manifestação, do objeto artístico. Como bem disse esse conceito é bem pessoal, a impressão que causa a cada um, ou que não causa também. As sensações, as emoções. Arte como uma manifestação do artista, a impressão pode surpreender ou não. Ai que tá a graça cada um vai uma leitura pessoal. No caso especifico da pintura, eu gosto de escola surrealista. Beijos, Tais.

    ResponderExcluir
  38. Há muita coisa em exposições a que dão o nome de arte mas cujo valor é muito discutível.
    Concordo com a sua opinião expressa neste magnífico texto. Para mim, uma coisa só é arte se me tocar. Mas até admito que a culpa seja minha quando isso não acontece...
    Bom fim de semana, amiga Taís.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  39. Pois é Taís, com um olhar mais atento nestas exposições temos muito o que questionar sobre a real arte mesmo.No inicio desta bela cronica, você define muito bem, o que seria as artes e de como elas podem engajar-se e retratar os sentimentos da humanidade. É função do artista este olhar critico sobre o cotidiano.
    Um abração amiga.
    Bjs de paz

    ResponderExcluir

QUERIDOS AMIGOS:

1 - Este blog não envia nem recebe comentários anônimos ou ofensivos.

2 - Entrarei na página de comentários quando alguma resposta se fizer necessária.

3 - Meus agradecimentos pelo seu comentário, sempre bem-vindo.


Meu abraço a todos.
Taís Luso